segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

domingo, 4 de dezembro de 2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

sábado, 1 de outubro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

domingo, 28 de agosto de 2011

sábado, 20 de agosto de 2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

quinta-feira, 28 de julho de 2011

terça-feira, 26 de julho de 2011

segunda-feira, 25 de julho de 2011

quinta-feira, 21 de julho de 2011

quarta-feira, 20 de julho de 2011

domingo, 10 de julho de 2011

sábado, 2 de julho de 2011

quarta-feira, 29 de junho de 2011

quinta-feira, 23 de junho de 2011

terça-feira, 21 de junho de 2011

domingo, 19 de junho de 2011

sexta-feira, 17 de junho de 2011

terça-feira, 14 de junho de 2011

domingo, 12 de junho de 2011

quinta-feira, 9 de junho de 2011

quarta-feira, 8 de junho de 2011

terça-feira, 7 de junho de 2011

domingo, 5 de junho de 2011

domingo, 29 de maio de 2011

terça-feira, 24 de maio de 2011

segunda-feira, 23 de maio de 2011

terça-feira, 10 de maio de 2011

A expansão

Espero a chuva passar

Olho pela fresta e vejo uma luz brilhar

Há pessoas gritando, falando comigo

vejo também muitos amigos, conhecidos!

Vejo todos de cima, não posso me mexer

Estou deitado vendo todos em degradê

Nesse cama que estou luzes e vultos se confudem

Se misturam como se não se vissem

Dançam conforme o ritmo contagiante impressionando como se nunca tivessem sentido antes

Acordo sinto o vento, pego na areia

Vejo o mar sublime, será um sonho?

O que não pode ser feito

Aqui já voou com o tempo

Então sem poder sentir

Volto a dormir

Retire o véu que o separa da verdadeira realidade

Para conseguir viver sem as falsidades

Deste lado tudo é certo

Ninguém pode mais

A visão diferente das coisas normais!

Marcos A. B. J.

domingo, 8 de maio de 2011

quinta-feira, 5 de maio de 2011

segunda-feira, 2 de maio de 2011